14 de jun de 2015

Nossa Doce Solidão

Imagem do Google
Lagrimas quente caem 
sobre o meu rosto
Fere a minha carne.
São Lagrimas do meu silencio
Por que tiveste tu que me deixar?

Nossas almas buscam um mesmo rumo
Mas estamos presos a um mesmo destino,
Nossa doce solidão.


Suas noites são como as minhas...
Repulsivas e solitárias!.

Hoje soa triste a nossa canção...
Devora-me a alma saber que estarei condenada
A essas  grades imaginarias que me impede de  te tocar.
Só queria reescrever a nossa vida,
Só queria mudar os versos da nossa poesia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


“O Poeta é um fingidor, finge tão completamente
que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente.”

( Fernando Pessoa)


Arquivo do blog

jf.maps

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...