11 de nov de 2013

Minhas interrogações!


Imagem dos Google
Está  frio lá fora...
O orvalho da madrugada cobre suavemente
As vidraças da minha janela...
Já não vejo a face da lua.

No horizonte, vejo apenas um grande vazio
E dentro do meu pequeno mundo...
  Interrogações sem respostas
 E sentimentos desconexos
Que confundem ainda mais
 A minha mente já tão confusa.
***

10 comentários:

  1. Linda poesia e interrogações, questionamentos sempre podem existir!Fazem refletir!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Oi querida!
    Está tristinha...Agora estou recebendo comentário só no blog infantil( por enquanto-problemas). O Lua Singular é só para leitura.
    Beijo
    Mundo dos Inocentes

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Mary.. o que mais temos em nós são essas interrogações.. nossos sentimentos brigam dentro de nós como caes e gatos.. temos de soltar eles, e nos soltar tb.. se nos vemos confusos é pq dentro esta uma bagunça só.. melhore o interior para ele se refletir no exterior beijos amiga querida até sempre

    ResponderExcluir
  4. Olá!Boa tarde, Querida e linda amiga Mary!
    Interrogações?Há perguntas que jamais serão respondidas já que tudo na vida leva a múltiplos caminhos . As coisas apenas acontecem, e mesmo tendo um fim, cada pessoa precisa descobrir por si próprio quais são os sentimentos desconexos e o quanto ele vale individualmente para si... Depois de obter para si mesmo as respostas sobre cada uma dessas questões, estará menos vulnerável. Afinal sempre é tempo de reavaliar e melhorar se for o caso, tudo...
    Agradeço pelo carinho, muito obrigado, bela semana, beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Está frio lá fora...
    Abre a porta, quero entrar
    Estou chegando agora
    Mary, para te visitar.

    O orvalho da madrugada
    Pode causar constipação
    Mulher bem amada
    Não tem mágoas no coração.

    Quando nasce o sol
    Aparece no horizonte
    Sem pressa vive o caracol
    Grande porte o elefante!

    As vidras da tua janela
    Interrogam quem passa na rua
    Nasce o sol sorri para ela
    De noite iluminadas pela luz da luar.

    Obrigado amiga pela tua visita.
    te desejo boa noite, um beijinho
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  6. Maravilha de poema,Mary. São interrogações que sempre fazemos.

    Recebi sua atualização,pois seu blog está na minha lista de visitas.

    Vou divulgá-lo no mosaico de parceiros do meu,na aba direita,em "Categorias".

    Depois veja lá,ok?

    Beijinhos e ótima noite

    Dryka



    Blog Suas Histórias Nossas Histórias

    ResponderExcluir
  7. MARY:A minha vida anda meio fria também no setor sentimental..rsss!Por isso, estou sempre fazendo interrogações.Belo poema e tem tudo haver com a nossa própria vida!
    Amiga, obrigada pelo seu carinho.Já estou seguindo-a, assim como tb, a página de "selinhos.".Bjs e um ótimo dia.

    ResponderExcluir
  8. OI MARY!
    E NESSAS INTERROGAÇÕES MUITAS VEZES, NOS PERDEMOS, BUSCANDO RESPOSTAS QUE SÓ O TEMPO NOS TRARÁ...
    LINDO AMIGA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. uma madrugada fria,sem a luz da lua,deixa qualquer pessoa triste.
    Adorei Mary.
    Obrigada pela visita,gostei muito do seu comentário.
    Boa tarde beijinhos.

    ResponderExcluir


  10. Já tive madrugadas frias, noites silenciosas, perguntas sem respostas...

    Amei seu poema ! Uma doce melancolia...

    Amiga agradeço por sua carinhosa visita ao meu post de aniversário , obrigada !

    Beijos me seu coração amiga Mary !

    Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir


“O Poeta é um fingidor, finge tão completamente
que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente.”

( Fernando Pessoa)


Arquivo do blog

jf.maps

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...